Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Bri Divagando

Este foi o local que escolhi para as minhas divagações: banalidades da minha vida, dúvidas existenciais, literatura...ninguém é unidimensional e, por isso mesmo, aqui estou em 3D.

Bri Divagando

Este foi o local que escolhi para as minhas divagações: banalidades da minha vida, dúvidas existenciais, literatura...ninguém é unidimensional e, por isso mesmo, aqui estou em 3D.

30.Ago.17

Polémicas...veias jugulares palpitantes

Bri
Olá!   Ainda esta semana comentava com a Pessoa que este mundo assusta-me. Passo a explicar: já vos aconteceu abrir o facebook e serem agredidos por polémicas descabidas que trazem atrás de si comentários maldosos, maldizentes e onde conseguem perfeitamente ver a cara da pessoa que o escreveu vermelha de tanta raiva e a veia jugular a palpitar de ódio? Pois que a mim aconteceu-me por diversas vezes e num espaço de tempo bastante reduzido...foram os manuais para meninos (...)
18.Ago.17

Ora...mas então?

Bri
Olá, como estão? Espero que bem, muito bem mesmo! Hoje venho fazer uma breve incursão por este mundo gigantesco que nos entra pelos olhos dentro diariamente, ou pelo menos para aqueles que têm a infelicidade de passar tempo no trânsito: tirar macacos do nariz... Aviso: vou usar muitos cliché e muitas frases feitas! O que se passa por esse mundo fora, por todas essas estradas e filas de trânsito? Que necessidade animalesca é esta de escarafunchar nas miudezas das cavidades nasais (...)
13.Ago.17

Chuva de estrelas no fim de semana

Bri
   Este fim de semana foi preenchido por coisas boas: a chegada do meu irmão e da minha sobrinha mais velha, o aniversário do meu pai e uma chuva de estrelas incrível que soube ainda melhor quando a minha sobrinha me disse que nunca tinha visto uma estrela cadente. Resumo da noite: uma barrigada de riso porque a minha mãe teimava em olhar para o sítio errado e, por conseguinte, nunca acertava com o sítio onde as estrelas apareciam; o meu irmão com um olho no céu e outro no (...)
09.Ago.17

E depois não querem...

Bri
Maltinha, todos sabemos Desculpem, antes de mais espero que estejam bem! Isto de uma pessoa estar a ganhar vapor que nem uma panela de pressão dá nestas coisas...atropelos, esquecer-se de ser socialmente correcta e acima de tudo de ser uma pessoa simpática. Reconheço que não sou propriamente das pessoas mais pacíficas que por aí anda...gostava muito de poder ser eternamente feliz no meio dos meus pandas, elefantes e unicórnios e poder, ainda, saltar de nuvem em nuvem sem que nada (...)
07.Ago.17

Mordendo o choro

Bri
E escrevo. Escrevo como se nada mais importasse...de facto, nada mais importa porque calamos os choros e as angústias. Sorrimos com lágrimas nos olhos e dizemos que está tudo bem. Só no papel convertemos as lágrimas em palavras reais. Só na escrita somos, enfim, nós mesmos. Nada de politicamente correctos, nada de simpatias. A verdade dura e crua. Isto até sabermos que somos lidos por alguém conhecido. E, nesse momento, mordemos o choro, mais uma vez e novamente, calamos a (...)
05.Ago.17

Deixar o protagonismo

Bri
Dei por mim a pensar, coisa vulgar e banal, de como seria o mundo sem juízos de valor, sem críticas (não tão construtivas). E, de repente, lanço-me de garras afiadas à senhora do café que me atende sem olhar para mim, sem me dar os bons dias e sem me dar o protagonismo que exijo enquanto cliente...mas que gaita! (Atirei-me à senhora só mesmo na minha cabeça porque, de facto, continuo a ser o típico ser humano que faz uma novela mexicana e uma tempestade num copo de água sem (...)
03.Ago.17

Entorpecimentos

Bri
Esticas-te no sofá e pensas que vai ser só um bocado. No entanto, devoras todos os pontos de luz que a caixa mágica vomita. Nessa letargia vais adiando o que tens para fazer...até mesmo viver! Escreves e olhas sempre por cima do caderno dizendo e desculpando que "estás só a espreitar". E vais deixando a tua vida ser sugada de forma ininterrupta pelas imagens falantes das quais não te consegues desconectar. Pagas o preço da vida moderna...o passar o tempo existindo .